47.jpg
Vai Vai

Vai Vai

No início do século, havia no bairro do Bixiga um time de futebol e grupo carnavalesco chamado Cai-Cai, que utilizava as cores preto e branco, tinha um grupo de choro e jogava no campo do Lusitana, próximo ao cruzamento das ruas Rocha e Una, na região do Rio Saracura. Por volta de 1928, um grupo de amigos, liderados por Livinho e Benedito Sardinha, ajudava a animar os jogos e festas realizadas pelo Cai-Cai, porém eram sempre vistos como penetras e arruaceiros, sendo apelidados de modo jocoso como "a turma do Vae-Vae". Expulsos do Cai-Cai, estes criaram o "Bloco dos Esfarrapados", e paralelamente, o Cordão Carnavalesco e Esportivo Vae-Vae, que foi oficializado em 1930.

Carnaval 2017 Carnavais Vai Vai

Segunda, 01 Janeiro 2007 11:55

2007 - O 4º Reino - O Reino do Absurdo

Escrito por

O poder e o esplendor da natureza, estampados em suas colossais dimensões divinas, podemos vislumbrar e quantificar plenamente na realidade em que vivemos. Um mundo diversificado, multicor e encantador, porém naturalmente guiado por um fio de lógica e precisão nos espetáculos que a Mãe Natureza propicia no desenrolar dos séculos.

Seja nos suaves vôos migratórios, nas jornadas sazonais dos animais, no cio previamente estabelecido e regularmente cumprido ou, no próprio cio da Terra que nos proporciona o alimento que mantém a vida e enchendo os celeiros do mundo, após a benção das chuvas. Vemos e nos encantamos com a conexão e a subserviência dos reinos da natureza, tocados por mãos e inspiração divinas a permitir e manter a graça da vida. Estes reinos existem e sobrevivem uns pelos outros numa epopéia telúrica, quase incompreensível, mas deslumbrante, que estimulam regimentos de estudiosos e cientistas numa batalha infindável para desvendar-lhes os segredos.

Assim o REINO MINERAL sustenta o globo terrestre como um esqueleto gigantesco e poderoso, dele emanando os complexos e ricos nutrientes que mantém o REINO VEGETAL com os veios fluídos de água fresca e saudável. Uma miríade de tipos de rochas, cristais e pedras preciosas, minerais e substâncias químicas, elementos até há pouco tempo desconhecidos e hoje integrados no nosso cotidiano, como os metais raros e o petróleo... a riqueza e o sustentáculo do mundo moderno.

O REINO ANIMAL totalmente dependente do reino vegetal, tanto para sua alimentação como para proteção é um espetáculo comovente de interação entre os animais e as plantas. O ninho de um pássaro ou o salto fantástico de um macaco nas ramagens das florestas e a oferta generosa de flores e frutos nos dá uma tênue idéia da lógica da cadeia alimentar e da maestria da Mãe Natureza conduzindo a grande obra da Criação.

O HOMEM no topo dessa cadeia também é, e não poderia escapar à lógica mencionada, dependente desses reinos precedentes dos quais tira seu sustento e sua manutenção. A evolução humana desde suas fases de coleta, caça e agrícola proporcionou paulatinamente uma melhoria de vida, maior longevidade e um aprimoramento técnico científico sem precedentes na sua história. Suas invenções desde a mais primitiva como o arco e flecha e o domínio do fogo, foi um salto imenso no seu status entre os reinos, facilitando e lhe dando primazia sobre eles. Outras invenções, na seqüência de muitas, como a roda, a pólvora, a mecânica, meios de transporte como barcos, a domesticação de animais e a elaboração de armas poderosas, lhe deram o domínio do mundo. Ainda nessa seqüência brilhantes mentes humanas passaram a dominar o mundo microscópico e científico manipulando os elementos da natureza criando novos remédios, novos materiais e novos campos de pesquisa. No reino da internet e o mundo moderno essas pesquisas aliadas à informática estão criando não apenas novas descobertas, mas outros totalmente distintos reinos não previstos na grande obra da Criação.

Este mundo formado agora por reinos e reinos, como o da CIÊNCIA com suas inumeráveis formas de desenvolvimento e assombrosos resultados; o reino ESPACIAL com seu ultra-avançado campo de pesquisa interplanetária, que suscita até mesma incredibilidade nas suas conquistas.

Fruto também dessa grande evolução científica está a pesquisa para elaboração de novos materiais e nenhum deles se sobressaiu e se amalgamaram tanto aos costumes humanos, solucionando-lhes problemas como o PLÁSTICO , outorgando ao homem o mérito da criação do 4º reino ao longo de sua história natural, o REINO DA CONTRADIÇÃO entre a EVOLUÇÃ O e a DESTRUIÇÃO , desde o LÁTEX da seringueira até as contemporâneas descoberta científicas do PETRÓLEO e dos BIOPOLÍMEROS e sua grande importância econômico-financeira para o mundo. Foi o ponto de partida para a criação do 4º REINO – “O REINO DO PLÁSTICO”.

O mundo hoje já se habituou à sua presença e, de fato, o plástico é onipresente em todos os setores da vida humana, desde seus brinquedos, vida estudantil, medicina-hospitalar e domiciliar até em seus transportes e construções. Mas tal aparato de soluções fantásticas que ele propicia traz em si a agravante da poluição, por ser material indestrutível, contamina as águas e o solo prejudicando a saúde do planeta e deste já podemos ouvir: “Chega de Lixo!”.

Elementos orgânicos voltam naturalmente ao estado mineral incorporando-se ao solo, mas para o plástico a única solução é a RECICLAGEM , com todas suas vantagens financeiras, evitando o excesso de lixo doméstico e industrial que comprometeria em pouco tempo a vida na Terra.

O 4º REINO - O REINO DO PLÁSTICO

O GRÊMIO RECREATIVO CULTURAL ESCOLA DE SAMBA VAI - VAI abre as portas do 4º Reino para o mundo mostrando as passagens da história que marcaram o surgimento deste fabuloso produto, de beleza indescritível, e reconhecido mérito de praticidade no mundo moderno. A viagem do reino do plástico começa com a estupefação do homem ocidental perante os poços de petróleo incandescentes na região da Armênia na Ásia Menor. Na fantástica viagem de MARCO PÓLO ao Oriente em direção à China descrevendo “uma fonte da qual jorrava óleo negro” e não imaginou o quanto aquela descoberta transformaria o mundo. Óleo generoso que gera tantos benefícios, mas também sua contradição que é a GUERRA . Entre tantas riquezas e conhecimentos que MARCO PÓLO trouxe do Oriente para a Europa temos o advento da tecnologia petroquímica, fundamental para o funcionamento de todas as áreas da grande estrutura de organização das nações modernas.

A China hoje é uma importante exportadora mundial de seus fascinantes produtos, principalmente os produtos do cotidiano contemporâneo descartáveis. Taiwan exporta para o resto do mundo uma enorme quantidade de produtos plásticos, hoje necessários para a vida moderna e prática, criando uma dependência no homem em sua utilização gerando algo muito ruim ao planeta: a POLUIÇÃO . Este é o fantasma da morte do mundo natural colocando em risco a própria sobrevivência das espécies e da natureza, condenando o homem à sua extinção. A difícil decomposição dos plásticos, que dura de 40 a 60 anos, está formando uma nova crosta na Terra, poluída e venenosa que prejudica a interação entre os reinos e ao homem.Uma grande chance de vitória contra sua própria destruição é a mais recente invenção da ciência que está produzindo o plástico biodegradável denominado “BIOPOLÍMERO” , que é ingerido pelas bactérias do solo incorporando os materiais de sua composição: MOLÉCULAS DE AMIDO, polímero de origem vegetal (milho, mandioca, batatas e cereais), resultado da união de moléculas de açúcar.

Este plástico aliado à reciclagem do plástico petroquímico seria a reversão da prevista morte do planeta, beneficiando a vida do homem e da natureza.A resposta às enchentes, ao veneno nos rios, ares e mares a palavra de ordem é REUTILIZAÇÃ O , REAPROVEITAMENTO e RECICLAGEM , antídotos presentes na nova mentalidade que a VAI - VAI pretende implantar no homem-cidadão contemporâneo e em sua descendência. Este é o grande grito de alerta que vamos dar no Sambódromo neste Carnaval de Conscientização do povo. “ Transformar o plástico é transformar a sociedade ” – Com esse tema importante e fundamental desfilaremos com a doce intenção de proporcionar um engajamento do público a favor de uma melhor condição de vida urbana e solução para as grandes catástrofes que acometem a natureza.

O MUNDO RECICLÁVEL

Nossa história atingiu o ápice de tolerância em relação ao uso das riquezas naturais que promovem o desenvolvimento das culturas globais das nações, sua agricultura, seu comércio, suas ciências e principalmente suas indústrias. Por isso o desenvolvimento da indústria da RECICLAGEM passa a ser preponderante na reversão da destruição às fontes não renováveis de energia do último século, eliminando o impacto ambiental causado pelo descarte indevido das embalagens, próprias do mundo moderno, que acabam em aterros e lixões, cujas capacidades estão próximas da saturação. O PET que é um polímero termoplástico, por reunir características como brilho, transparência, leveza e segurança, transformou-se rapidamente na embalagem ideal para a indústria de bebidas em todo o mundo, reduzindo os custos de transporte e tornando esses produtos mais baratos e acessíveis ao consumidor. Aqui no Brasil há apenas uma década as garrafas passaram a ser produzidas em grandes volumes. Não é só o consumidor que ganha com o uso do PET , o meio ambiente também. Por ser extremamente leve facilita o transporte proporcionando grande economia de combustível. É totalmente inerte, isto é, não interage com o solo ou com a água e não libera substâncias tóxicas.

O PET é 100% reciclável. A indústria detém a tecnologia em três métodos comprovadamente eficientes: a RECICLAGEM ENERGÉTICA que é o reaproveitamento da energia gerada pela incineração do material, aquecendo caldeiras e fornos ou mesmo gerar eletricidade em usinas termoelétricas. A RECICLAGEM QUÍMICA – processo no qual as matérias primas originais são extraídas e novamente reutilizadas. A RECICLAGEM MECÂNICA – método predominantemente utilizado no Brasil, onde as garrafas são moídas, lavadas e secas, resultando nos flocos da garrafa que podem novamente ser utilizadas na transformação, contribuindo significativamente para a geração de trabalho e renda. As fábricas empregam técnicos, engenheiros e milhares de trabalhadores na linha de produção. E o mais importante, de forma indireta, mais outros milhares de pessoas vivem da reciclagem – COLETANDO OS RECICLÁVEIS , fazendo a triagem, prensando e comercializando as sucatas para as indústrias que absorvem os materiais descartados, barateando o processo e tornando os produtos cada vez mais acessíveis.

A VAI-VA I neste Carnaval inicia uma grande e permanente campanha de conscientização dando seu grito de alerta para a criação de sistemas de coleta seletiva a nível governamental, orientação para a população participar ativamente dos sistemas existentes, identificar os catadores que atuam na comunidade, dirigir suas compras para os materiais passíveis de reciclagem e incentivar a formação de cooperativas de catadores, para que esses materiais não sejam indevidamente descartados e desperdiçados, condenando o meio ambiente. Conclamamos todos para que cumpram sua parte na luta para salvar o Planeta!

Domingo, 01 Janeiro 2006 11:55

2006 - São Vicente. Aqui Começou o Brasil.

Escrito por

NAVEGAR É PRECISO

De costas para Castela e de frente para o mar, a única forma de Portugal expandir seus domínios era transpor a imensidão dos perigosos e solitários oceanos que separavam esses dois mundos.

O Brasil fez 500 anos. São mais de meio século de descobertas, lutas, invasões, batalhas, conquistas, crescimento e transformações. Esse país jovem e promissor, que já foi colônia, teve seu período de império e se transformou em república, até ser o que é hoje: uma grande nação.

Nossa história começou muito antes desses 500 anos. Começa do outro lado do Atlântico, numa época em que ninguém sabia da existência do continente americano.Tem início na Idade Média, durante a formação do reino de Portugal. Durante as guerras de Reconquista da península Ibérica aos mouros, que atravessaram séculos. A soberania do novo reino seria confirmada pela habilidade política dos governantes portugueses que tiveram como recompensa, a independência do poderoso reino de Castela.

Com a face voltada para o mar, num momento de profundas crises econômicas, Portugal soube evitar o naufrágio. Sua única saída, no entanto, era um oceano imenso e desconhecido, que o imaginário povoava com monstros e mitos. Portugal precisava navegar para sobreviver, e lançou-se ao Mar Tenebroso, como chamavam o oceano Atlântico, com uma habilidade que o colocou na frente de outros povos: conquistou o litoral africano em busca de um caminho para a Ásia, chamada, na época de, Índias.

Quando o Almirante Pedro Álvares Cabral, em 1500, navegou a sudoeste da África, para depois sair na direção do cabo da Boa Esperança, ele e sua tripulação sabiam muito bem o que estavam fazendo. Não sabiam, a dimensão do gigante que se escondia por detrás daqueles portos seguros. Este gigante chamado Brasil tem uma belíssima história para contar. Se lá em Porto Seguro o Brasil foi descoberto, aqui na Baixada Santista, na região de São Vicente foi que a nossa pátria começou.

Sábado, 01 Janeiro 2005 11:55

2005 - Eu Também Sou Imortal

Escrito por
Quarta, 01 Janeiro 2003 11:55

2003 - Entre Marchas, Galopes e Cavalgadas

Escrito por
Terça, 01 Janeiro 2002 11:55

2002 - Guardado à Sete Chaves

Escrito por
Segunda, 01 Janeiro 2001 11:55

2001 - O Caminho da Luz a Paz Universal

Escrito por
Sábado, 01 Janeiro 2000 11:55

2000 - Vai-Vai Brasil

Escrito por
Sexta, 01 Janeiro 1999 11:55

1999 - As Profecias de Nostradamus

Escrito por
Quinta, 01 Janeiro 1998 11:55

1998 - Banzai Vai-Vai

Escrito por

Área Restrita

Apoio

© 2016 SPcarnaval.com.br- spcarnaval@spcarnaval.com.br - Todos os Direitos Reservados