18.jpg
Carnavais Tatuapé

Carnavais Tatuapé (44)

Tatuape2016O carnaval de 2016 será carregado de emoções para a comunidade do Tatuapé.

Vamos fazer uma linda, emocionada, mas acima de tudo, justa homenagem à Beija Flor de Nilópolis. Ela, a Deusa da Passarela, a grande e importante co-irmã do carnaval carioca, uma das maiores e mais respeitadas escolas de samba do Brasil.

Sob as bênçãos de São Jorge, nosso santo guerreiro e padroeiro comum, com o mesmo azul do céu infinito, que nos faz sonhar com o branco da paz tão bonito, e das cores dos nossos pavilhões, vamos em busca da luz que vai iluminar nosso caminho rumo a vitória tão sonhada.
Vamos na certeza de um grande desfile, digna homenagem a escola que se notabilizou no carnaval pela qualidade, pela criatividade, pelo ineditismo e pelo brilho de suas apresentações que arrebataram admiradores e seguidores apaixonados, em Nilópolis, no Rio de Janeiro, no Brasil e no mundo. Através de seus desfiles inesquecíveis, mostraremos a trajetória triunfal desta agremiação que retratou em seus grandes carnavais a história, a vida dos brasileiros, suas cidades e personagens marcantes da nossa cultura, com suas fantasias, carros alegorias e sambas antológicos.

Faremos uma viagem pelos sambas, desfiles históricos e personagens marcantes, que não foram poucos. Essa gloriosa escola coleciona 13 títulos e 12 vices campeonatos ao longo da história.

Vamos fazer um desfile onde as pessoas sentirão a presença de cada momento marcante dessa linda história de amor ao samba, as escolas de samba e ao carnaval.


1º Setor: JORGE DA CAPADÓCIA E A VIDA DE JORGE SOLDADO

Jorge, nascido na Capadócia, atual Turquia, filho de cristãos, foi educado para lutar sempre contra o mal. Adolescente, entrou para a carreira das armas, por ser a que mais satisfazia à sua natural índole combativa, e, logo foi promovido a capitão do exército romano, graças á sua dedicação e habilidade. Tais qualidades levaram o imperador a lhe conferir o título de Conde da Capadócia, e Jorge passou a residir na corte imperial e a exercer a função de Tribuno Militar. Então, o Imperador publicou um édito que mandava prender todo soldado romano cristão que não reverenciavam aos deuses romanos. Jorge, que sempre se declarou cristão, manteve-se fiel ao cristianismo. Torturado de vários modos, seu martírio aos poucos foi ganhando notoriedade; a cada vitória sobre as torturas, Jorge ia convertendo mais e mais soldados. O imperador, contrariado, chamou um mago para acabar com a força de Jorge. O santo tomou duas poções e, mesmo assim, manteve-se firme e vivo. O feiticeiro juntou-se à lista dos convertidos, assim como a própria esposa do imperador. Estas duas últimas “traições” levaram Diocleciano a mandar degolar o ex-soldado em 23 de abril de 303 d.C..

2º Setor: PADROEIRO

São Jorge é venerado desde o século IV e recebeu o honroso título de “Grande Mártir”. A devoção a Jorge rapidamente tornou-se popular e seu culto se espalhou pelo mundo, durante a Idade Média. Conhecido como verdadeiro guerreiro da fé, durante as Cruzadas, começou a ser cultuado como santo, que segundo a lenda, venceu satanás em terríveis batalhas. Iconograficamente, São Jorge é representado como um jovem imberbe, de armadura, tanto em pé como em um cavalo branco com uma cruz vermelha. A imagem conhecida, do cavaleiro que luta contra o dragão, foi difundida a partir de um mito surgido em romances de cavalaria. Está relacionada às diversas lendas criadas a seu respeito e contada de várias maneiras.

Os ingleses acabaram por adotar São Jorge como padroeiro do país, assim como vários Lugares pelo Mundo, como, a Catalunha, Moscou e Portugal; já na África São Jorge é considerado padroeiro da agricultura.

A devoção brasileira à São Jorge deve-se à colonização portuguesa, assim como o sincretismo nas religiões de matriz africana. No Brasil, podemos destacar:

- É patrono dos Escoteiros, Bicheiros, Soldados, Policiais, Bombeiros, Armeiros, Cavaleiros, Seguranças e Serralheiros;

- É o Santo Padroeiro do Corinthians, acredita-se que sua história de devoção e fidelidade à verdade Cristã até o fim de seu martírio seja a origem do termo “Fiel”, popular entre os torcedores corintianos;

- É Padroeiro de várias escolas de sambas pelo Brasil com destaque para União da Ilha do Governador, Beija-flor de Nilópolis, Império Serrano, Imperatriz Leopoldinense, Porto da Pedra e Grande Rio, todas no Rio de Janeiro. E Gaviões da Fiel entre outras em São Paulo.

- Na astrologia São Jorge representa Marte e o signo de Áries.

3º Setor: SINCRETISMO RELIGIOSO

A força do venerado Guerreiro só explodiu no país a partir do sincretismo religioso com os cultos afro-brasileiros. Trazendo festas e tradições em vários pontos de regiões brasileiras.
Forçados a professar a fé cristã, os africanos trouxeram, suas crenças, suas divindades, suas lembranças…O único caminho para que pudessem cultuar seus orixás era disfarçá-lo como um culto a santos católicos.
A igreja católica naquela época, dizia que os orixás não passavam de demônios. Por isso o sincretismo religioso com os santos da igreja católica, pois os negros escravos eram obrigados a se converterem ao catolicismo, muitas vezes até mesmo no tronco, dizendo-se ser uma espécie de exorcismo. Quando os escravos se passavam por convertidos eles comparavam a história ou a lenda de um santo católico, e também o que cada um representava, com os santos africanos. Então São Jorge é associado a Ogum, orixá do ferro e das estradas.
NÚMERO: 07 e seus múltiplos.
Ogum é único, mas, em Irê, diz-se que ele é composto de sete partes. O número sete é associado à Ogum e ele; é representado nos lugares que lhe são consagrados, por instrumentos de ferro, em número de sete, catorze ou vinte e um….
Ele tem um molho de sete instrumentos de ferro: alavanca, machado, pá, enxada, picareta, espada e faca, com as quais ajuda o homem a vencer a natureza.
Agrado: oferecem-se as comidas da sua preferência: feijoada, inhame e xinxim acompanhados da sua bebida predileta: cerveja.

4º Setor: MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS E CULTURAIS

A popularidade de São Jorge é incontestável quando analisamos as diferentes linguagens artísticas:

Cantos (músicas), como: Jorge de Capadócia de Jorge Ben, interpretada também por Caetano Veloso, Fernanda Abreu e pelos Racionais MC’s. “Alma de guerreiro”, de Seu Jorge, São Jorge é citado. A música é tema de abertura da telenovela Salve Jorge. Lua de São Jorge interpretada por Caetano Veloso, Líder dos Templários de Jorge Vercillo, “Medalha de São Jorge”, que foi gravada pela Cantora Maria Bethânia, saudação a Ogum de Leci Brandão e Zeca Pagodinho com as musicas vou ascender velas para São Jorge e “ Ogum” outro sucesso de vendas..

Quadros, imagens (pinturas como em Paris, no Museu do Louvre, com um quadro famoso de Rafael (1483-1520), intitulado “São Jorge vencedor do Dragão”. Na Itália, existem diversos quadros célebres, como um de autoria de Donatello. A imagem brasileira de São Jorge seria, possivelmente, de autoria de Martinelli.

Contos (Livros, filmes, peças teatrais e novelas), existe um Livro sobre São Jorge criado pelo escritor italiano Tito Casini chamado “ Perseguidores e Mártires “, outro destaque é o Filme uma festa para Jorge da cineasta Isabel Joffily e Rita Toledo , no

Teatro foi através do ator Jorge Fernando com a peça “Salve Jorge” que o santo guerreiro foi citado e por fim, a novela “Salve Jorge” um sucesso de audiência de autoria de Glória Peres.

No folclore não poderíamos deixar de falar da cavalhada, que ocorrem em várias partes do país, onde nesta homenagem a São Jorge eles encenam o duelo do bem contra o mau, por este motivo, metade dos cavaleiros representam o mau com a cor vermelha e a outra metade a cor azul representando o bem ou seja nosso valente guerreiro.

As artes sempre estiveram presentes no cotidiano como canais de conexão e expressão entre o mundo interno pessoal e o mundo externo natural e coletivo. Marcas que deixaram e poderão deixar ao longo da história diversas culturas.

5º Setor: DEVOÇÃO

O dia de São Jorge é comemorado em 23 de abril. No sul do Brasil, o sincretismo com Ogum colabora bastante com a popularidade do santo.

Essa composição sincrética formada a partir de São Jorge-Ogum tornou-os nos mais populares ídolos religiosos no Rio de Janeiro, a ponto de se tornarem os patronos da maior parte dos times de futebol e das escolas de samba da cidade. O culto a São Jorge é maior que o culto a São Sebastião – santo padroeiro da cidade – ou a Nossa Senhora.

Na devoção de cada religião é marcada pela esperança de uma nova era para o mundo dos homens com igualdade. É o poder da fé que move montanhas, é a peregrinação dos caminhos da fé. Desde o desconhecido á celebridades da mídia. De um Brasil que se vive em harmonia, onde São Jorge convive com o povo brasileiro no seu dia a dia, e, que ele nos abençoe em todas as manifestações religiosas e festas da cultura do povo brasileiro. A ACADÊMICOS DO TATUAPÉ com poder, fé e devoção erguida ao longo de nossa história, pede passagem para contar em “canto e oração” a ação sociocultural de um santo nesse encontro mágico e poético chamado Carnaval.”

Terça, 01 Janeiro 2013 11:55

2013 - Beth Carvalho, a madrinha do samba

Escrito por
Sábado, 01 Janeiro 2011 11:55

2011 - O domingo é especial

Escrito por

O carnaval de 2011, vem para coroar a retomada de nossa escola à sua trajetória de sucesso e grandes desfiles de seu passado recente, no grupo especial. E inspirados nisso falaremos, do dia da semana que é de fato diferente para todos nós, por tudo aquilo que ele representa, e nos proporciona.
Por isso que os outros dias da semana que nos desculpem, mas o DOMINGO É ESPECIAL, e agora mostraremos porque. Vista essa fantasia e comprove com agente.

1° SETOR: Dia da fé cristã e homenagens.
A Ressurreição de Jesus aconteceu no primeiro dia da semana, quando ele apareceu glorioso aos seus discípulos. Por isso, os apóstolos e as primeiras comunidades cristãs passaram a chamar esse dia de "domingo", "dies Domini", dia do Senhor.
Outro fato marcante é o Domingo de Ramos, que abre por excelência a semana Santa, relembramos e celebramos a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, poucos dias antes de sofrer a Paixão, morte e ressurreição. Este Domingo é chamado assim porque o povo cortou ramos de árvores, mais precisamente folhas de palmeiras e no momento em que Jesus passava montado em um jumento, o povo com essas folhas nas mãos o aclamava. E assim despertando nos sacerdotes e mestres da lei muita inveja, desconfiança, medo de perder o poder, começa então uma trama para condenar Jesus a morte na cruz.
Domingo é dia do Senhor, que nos quer todos reunidos para participar da Eucaristia, ouvir Sua Palavra e celebrar a ação de graças. É o dia em que as famílias e as comunidades se encontram, para reforçar os laços de comunhão e amizade. Os cristãos passaram a reunir-se sempre no primeiro dia da semana para celebrar a presença do Ressuscitado em meio à comunidade.
A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. A festa tradicional associa a imagem do coelho, um símbolo de fertilidade, e ovos pintados com cores brilhantes, representando a luz solar, dados como presentes. A origem do símbolo do coelho vem do fato de que os coelhos são notáveis por sua capacidade de reprodução. Como a Páscoa é ressurreição, é renascimento, nada melhor do que coelhos, para simbolizar a fertilidade!
Domingo é dia de...
O Dia das Mães no Brasil é celebrado no segundo domingo de Maio, conforme decreto assinado em 1932 pelo presidente Getúlio Vargas.
Domingo é dia de...
O Dia dos Pais no Brasil, é comemorado no segundo domingo de Agosto, festejada pela primeira vez no dia 14 de Agosto de 1953, dia de São Joaquim, patriarca da família.
A origem do dia dos pais é semelhante ao Dia das Mães, já que a idéia inicial das duas datas era de instituir datas que proporcionassem respeito pelos pais, bem como fortalecer os laços familiares.

2° SETOR: Dia de reunir a família, de lazer e esporte.
Domingo não é um dia qualquer, é um dia pra lá de especial.
Aproveito que estou de folga reúno a família e levo as crianças para passear no Zoológico, outros preferem namorar, tomar sorvete na praça, andar de bicicleta, passear com o cachorro, outros gostam de fazer Cooper no parque, paquerar, fazer academias ou outros tipos de esporte mas o importante mesmo é estar de bem com a vida.
Hoje é domingo acordo cedo é dia de ir para praia, é dia de viajar a passeio com minha família, hoje é dia de curtir com meus filhos ir até um parque de diversões andar e brincar em todos brinquedos, comer pipocas, maçã do amor entre outros.
Domingo é dia...
De reunir a família, para almoçar fora em uma churrascaria, para outros é dia de se reunir em casa mesmo, todos em volta da mesa do almoço saboreando uma macarronada (com queijo ralado e muito molho), aquela bagunça, dia de pôr a conversa em dia, muita fofoca e pouco tédio!
Domingo é dia...
De visitar a mãe, de reverenciar a vó, de encontrar a sogra, de ver os sobrinhos, de aconselhar os filhos, de bater papo com o cunhado, enfim, um dia típico de família!
Domingo é dia...
De estar com a galera, de encontrar os amigos de longa data, conversar até altas horas, falar de futebol, de mulher, da vida, de tudo, enfim, menos de trabalho!
Domingo é dia...
De televisão, formula 1, de futebol, de clássico ao vivo, dia de reunir os amigos pra assistir ao jogo, tomando uma cerveja, xingando o juiz, caçoando do colega e torcendo pelo time do coração...

3° SETOR: Dia de diversão e manifestações sociais e culturais.
Domingo é dia de ....
Parada Gay
O evento é anualmente comemorado em um domingo na principal avenida da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, milhões de pessoas se deslocam de diversas partes do país e do mundo para fazer parte da festa.
O termo orgulho gay se refere a uma série de ações afirmativas dos gays . Tais ações visam combater o sentimento de vergonha sentido por muitos homossexuais, ou mesmo por grupos (geralmente de religiosos conservadores) que afirmam que tal comportamento sexual é vergonhoso.
Domingo é dia de.....
Ir aos Museus, ir aos teatros, cinemas e tantos outros espaços com suas infindáveis atrações culturais.
À noite, o domingo se transforma num verdadeiro espetáculo de luz e cores, atos e cenas, acordes clássicos e modernos. Entram em cena também os boêmios, sem compromissos com horários e afim de curtir., Já outras pessoas procuram se distrair pelos bailes,( funk, eletrônica, have, 3ª idade, gafieiras, pagode etc...), e discotecas, shows, peças, musicais e espetáculos, de peças experimentais dos circuitos alternativos às superproduções.
Mas hoje para nós, é Domingo de carnaval dia do nosso desfile, nesse momento, nos consideramos um grande rei momo, homenageando o carnaval e as escolas de samba. E nesse momento vamos em busca de nosso objetivo, mesmo respeitando todas as outras agremiações, mas temos um sonho e vamos em busca dele, que é o sonho de ser CAMPEÃO.

* Observação
*Gostaríamos de deixar bem claro que, com certeza surgirá a pergunta mas nos outros dias da semana não fazemos ou faríamos nada disso que relatamos?. É claro que sim, mas sabemos também que dessa forma que citamos, somente o Domingo nos proporciona esse prazer, pois é o dia da folga para alguns, ou sem aulas para outros, enfim é o dia em que a possibilidade da família estar reunida é maior, e acontecer tudo o que relatamos, com certeza será inevitável.
• *Outro fator que gostaríamos de deixar claro é que nesse enredo não nos preocuparemos com datas ou ordens cronológicas de cada história, e sim com uma divisão estética de desfile prevalecendo a liberdade de expressão e poética da obra.

Roteiro da escola
1° SETOR: Dia da Fé Cristã e Homenagens
Comissão de frente: Fé cristã
1° casal: Domingo de ramos
Carro Abre Alas: Fé cristã, Domingo o dia do Senhor
Ala: O dia do Senhor, as missas de Domingo
Ala das Crianças: Domingo de Páscoa
Ala: Dia das mães ( baianas )
Ala: Dia dos pais
2° SETOR: Dia de reunir a família, lazer e esporte.
Ala: Domingo no zoológico
Carro: Domingo no parque, mente sã, corpo são.
Ala: Domingo de praia
Ala: Churrascaria e macarronada
2° Casal: Pipoca, guaraná e T V
Ala: Hoje é dia de Formula 1.
Ala: Domingo de futebol, Clássico das multidões.
3° SETOR: Domingo de diversão e manifestações sociais e culturais.
Carro: Parada gay, o dia do não ao “preconceito”
Ala: Domingo no Teatro
Ala: Domingo no Cinema
Ala: Boêmios e a música
Ala: Discotecas e eletrônica
Ala: Domingo de Carnaval
Carro: Domingo de Carnaval, é hoje o dia, o sonho de ser campeão
Bateria: O domingo cantado em verso e prosa ( deslocamento livre ).

Quinta, 01 Janeiro 2009 11:55

2009 - Tatuapé somos nós !

Escrito por

No paraíso verdejante que recobre a vasta bacia amazônica , encontramos um pássaro de valor extraordinário. Arapuru, Irapuru, Guirapuru, Virapuru,....de várias formas é conhecido, mas seu nome mais difundido é Uirapuru e significa na língua indígena "ave verdadeira".Pássaro raro, não se permite ver facilmente. Quando se mostra, está sempre disfarçado para não ser notado.

Nossos ancestrais índios, consideravam este ser alado como mensageiro entre os homens e os deuses, por sua capacidade de voar em direção aos céus; atribuindo-lhes especial devoção.

É o deus do mundo alado – Pássaro Encantado, e a partir daí várias lendas surgiram. Uma delas é contada pelos índios Maués da amazônia.

"Um jovem, não muito belo, era admirado e desejado por todas as moças de sua tribo, por tocar flauta maravilhosamente bem.

Deram-lhe, então, o nome de Catuboré, flauta encantada.

Entre as moças, a bela Mainá conseguiu o seu amor,

casar-se-iam durante a primavera.

Certo dia, já próximo do casamento,

Catuboré foi à pesca de lá nunca mais voltou.

Saindo a tribo inteira à sua procura, encontraram-no sem vida, à sombra de uma árvore, mordido por uma cobra venenosa.

Sepultaram-no no próprio local.

Mainá, desconsolada, passava várias horas a chorar sua grande perda.

A alma de Catuboré, sentindo o sofrimento de sua noiva, lamentava-se profundamente pelo seu infortúnio.

Não conseguindo encontrar paz, pediu ajuda ao Deus Tupã.

Este, então, transformou a alma do jovem no pássaro Uirapuru,

que possui um canto maravilhoso, semelhante ao som da flauta,

para alegrar a alma de Mainá."

Cantor supremo, que enfeita com seus acordes de rara beleza a imensidão verdejante, é pássaro portador de poder sobrenatural incorporado a feitiçaria amazônica; tendo como único perseguidor o homem, que o considera um amuleto propiciatório de amor, riqueza e felicidade, chegando a empalhá-lo para ser vendido nas feiras como talismã.

O Uirapuru, ainda domina o reino dos pássaros, que o elegeram como o único maestro, seu cantar é a flauta mágica e angelical que ressoa na Amazônia e possui a virtude de seduzir, com modulações que provocam efeitos de um concerto no seio da floresta. Quando o Uirapuru canta, traz paz e todas as outras criaturas calam-se para ouvi-lo.

Seu canto está ligado a sua sobrevivência, seja para o acasalamento, seja para a defesa, seja para a procura de comida.

Este pássaro usa com freqüência as mesmas variações rítmicas e de tons, combinações e permutações de notas encontradas na música. E ainda, seu cantar serviu de inspiração para Heitor Villa-Lobos compor uma de suas obras mais famosas e que leva seu nome como título, Uirapuru.

APRESENTAÇÃO

União para o bem comum. Solidariedade com igualdade. Justiça e ética. Sobrevivência e resistência. Liberdade e crescimento. Estes são valores e objetivos perseguidos pela humanidade. Ainda que em muitos momentos os homens tenham ficado longe desses ideais, eles são próprios da natureza humana.

Cooperar é um ato inerente ao ser humano. O homem é, por natureza, gregário e precisa viver em sociedade e tem necessidade de ajuda mútua, cooperação e solidariedade. Na história da humanidade sempre houveram pessoas preocupadas e inconformadas com a sociedade em que viviam, procuraram organizar uma sociedade melhor, ideal, onde reinasse a justiça, a paz, a ordem e a felicidade, eliminando assim as diferenças econômicas e sociais e implantando o bem estar coletivo.

1º.Setor – A ORIGEM DO COOPERATIVISMO, SUA HISTÓRIA E SEUS PRINCÍPIOS.

A explicação que se dá ao surgimento do Cooperativismo é a busca incessante da melhoria das condições de vida das classes menos favorecidas e oprimidas, impostas pela força do capital logo após a Revolução Industrial, onde a máquina e a energia a vapor começaram a substituir a força humana, deve-se também ao Liberalismo Econômico, responsável pelo desenvolvimento e pelo progresso, que gerou de um lado riqueza e poder e de outro miséria, desemprego e exclusão social. Neste período o Liberalismo, que defendia a livre concorrência e a não intervenção do Estado na economia, abria caminhos para abusos de poder e conflitos. Restava ao proletariado ( trabalhadores ) o emprego nas indústrias, no comércio e na agricultura, sob condições sub humanas, com jornadas de até 17 horas diárias, inclusive para mulheres e crianças, com remuneração não condizente, sem falar na exploração imposta na compra de alimentos e de roupas no comércio local.

Em 21 de dezembro de 1844 no bairro de Rochdale, em Manchester, na Inglaterra, 28 tecelões ( 27 homens e 1 mulher ) fundaram a “Sociedade dos Probos Pioneiros de Rochdale” com o resultado da economia mensal de uma libra de cada participante durante um ano.

Tendo o homem como principal finalidade - e não o lucro – os tecelões de Rochdale buscavam, naquele momento, uma alternativa econômica para atuarem no mercado, frente ao capitalismo ganancioso que os submetiam a preços abusivos.

Naquele momento a constituição de uma pequena cooperativa de consumo de alimentos e roupas, estaria mudando os padrões econômicos da época e dando origem ao movimento cooperativista.

O cooperativismo evoluiu e conquistou um espaço próprio, definido por uma nova forma de pensar o homem, o trabalho e o desenvolvimento social.

Por sua forma igualitária e social o cooperativismo é aceito por todos os governos e reconhecido como fórmula democrática para a solução de problemas sócio-econômicos.

Como exemplo de potências mundiais do cooperativismo queremos exaltar a Índia, o país com o maior número de cooperados, são 164 milhões de profissionais associados a uma cooperativa nos mais diferentes segmentos econômicos, fica no Estado de Gugarat, na Índia a maior e mais moderna Usina de transformação de leite do mundo e pertence a uma cooperativa.

Na Suécia, a maior refinaria de petróleo do país, responsável por 20% da produção nacional, pertence à cadeia de cooperativas.

Na Espanha, na cidade de Mondragon, era o ano de 1955, o país passava por uma séria crise e os racionamentos de energia eram constantes, foi quando a comunidade se reuniu e adquiriu, em sistema de cooperativa, uma indústria de pequenos fogões e aquecedores a gás, esse foi o primeiro passo para transformar Mondragon num pólo de prosperidade, hoje quase tudo na cidade se baseia no cooperativismo.

Para promover o fortalecimento das cooperativas pelo mundo e favorecer o progresso econômico e social dos povos e contribuir para a Paz e Segurança Mundial, foi criada em 1895 a ACI, Aliança Cooperativa Internacional, a maior ONG do mundo e a 1ª. a fazer parte do Conselho da ONU. A ACI é o órgão máximo do cooperativismo no mundo, é composta por 240 organismos nacionais e regionais, em todos os países, representa cerca de 1 bilhão de cooperados em todo o mundo.

Valores

As cooperativas estão baseadas nos valores da auto ajuda, responsabilidade própria, democracia, igualdade, equidade e solidariedade, com base na tradição de seus fundadores, os membros das cooperativas acreditam nos valores éticos da honestidade, sinceridade, responsabilidade social e preocupação com seus semelhantes.

Princípios

- Liberdade é despertar nos outros a vontade de fazer

- Nosso capital são as pessoas

- Somar é compartilhar resultados

- Empreendimentos autônomos e controlados por seus associados

- Educar é construir um futuro melhor

- A união faz a força

- Interesse pela comunidade

A responsabilidade social está no DNA do cooperativismo.

2º.Setor – O COOPERATIVISMO NO BRASIL

É em 1847 que situamos o inicio do movimento cooperativista no Brasil. Foi quando o médico francês Jean Maurice Faivre, fundou nos sertões do Paraná a Colônia Tereza Cristina, que muito contribuiu para o florescimento do ideal cooperativista no Brasil.

Em 1891 foi fundada a primeira cooperativa brasileira, a de consumo dos funcionários da companhia Telefônica em Limeira no estado de São Paulo.

No anos 50 e 60 o Brasil conheceu seu período de maior surgimento de cooperativas nos mais diferentes segmentos de atuação, hoje elas representam mais de 6% do produto interno bruto (PIB) do país, o Brasil exporta mais de 1 bilhão de dólares de produtos produzidos no sistema cooperativo, temos mais de 7 mil cooperativas em atividade e mais de 6 milhões de cooperados.

No Brasil temos 62% de nossa produção agrícola obtida no sistema cooperativo, com destaque para os seguintes produtos:

Trigo – 75% da produção nacional do produto está no sistema cooperativo.

Milho – outro produto que se destaca na produção cooperada.

Cana de Açúcar – da produção nacional de cana de açúcar no sistema cooperativo temos 40% da produção de açúcar e 35% da produção de álcool do país.

3º.Setor – OS RAMOS DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO

Para entendermos o cooperativismo no Brasil é necessário analisarmos os ramos, ou seja, os tipos de cooperativas, já que cada um teve a sua própria história, com dificuldades e sucessos distintos. No Brasil temos hoje 13 ramos de atividades explorados no sistema cooperativista.

Educacional, são as cooperativas de escolas técnicas, de pais e mestres e outras;

Especiais, são as cooperativas constituídas para atendimento das necessidades especificas de deficientes mentais, escolas, menores, índios, etc;

Infra-estrutura, são as cooperativas que atuam nas áreas de limpeza, transporte público, telefonia rural, eletrificação rural e outros;

Transportes, são as cooperativas formadas por profissionais autônomos e seus veículos, que exercem suas atividades nas áreas de transportes de carga e passageiros;

Trabalho, são as cooperativas formadas por profissionais para atuarem em diversos segmentos, como:engenheiros, inspetores, jornalistas, tradutores, executivos, etc;

Produção, são as cooperativas voltadas para as áreas industriais, que agregam produtores de eletrodomésticos, tecidos, móveis e outros;

Saúde, são as cooperativas formadas por profissionais das áreas de saúde, que exercem atividades em hospitais, clinicas e outras;

Mineração, são as cooperativas de mineradores ( pedras preciosas, cascalhão, ouro, prata e outros )que se reúnem para partilhar bens de produção ou recursos para realização de seus trabalhos;

Agropecuário, são as cooperativas de produtores, na área agrícola e pecuária, e as agropecuárias de consumo, que reúnem consumidores de produtos agrícolas ou pecuários;

Consumo, são as cooperativas abertas ou fechadas, que contemplam consumidores de determinadas categorias de produtos

Habitacional, são as cooperativas que visam prover moradias para parcelas da população ou agregar recursos financeiros ou materiais para a construção civil;

Turismo e Lazer, são as cooperativas formadas por profissionais das áreas de turismo, lazer e entretenimento;

Crédito, são as cooperativas de crédito rural ou urbano, que agregam poupadores/tomadores de empréstimos a taxas mais acessíveis.

4º.Setor – OS SIMBOLOS DO COOPERATIVISMO E A COOPERLÂNDIA, A CIDADE DO FUTURO.

O emblema do cooperativismo é um circulo abraçando dois pinheiros, que indica a união do movimento, a imortalidade de seus princípios, a fecundidade de seus ideais e a vitalidade de seus adeptos. Tudo isto marcado pela trajetória ascendente dos pinheiros que se projetam para o alto, procurando subir cada vez mais. Antigamente o pinheiro era tido como um símbolo da imortalidade e da fecundidade, pela sua sobrevivência em terras menos férteis e pela facilidade na sua multiplicação.

O círculo representa a vida eterna, pois não tem horizonte final, nem começo e nem fim. O verde escuro das árvores lembra o princípio vital da natureza. O amarelo ouro simboliza o sol, fonte perene de energia e calor.

A nova bandeira do cooperativismo é de cor branca e no centro se destaca um arco íris com seis cores e a sigla ACI impressa na sétima cor: violeta.

O comitê da ACI aceitou a proposta de ter uma bandeira na qual fossem representadas as sete cores do arco íris. As cores vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta, simbolizam “os ideais e objetivos da paz universal, a unidade que supera as diferenças políticas, econômicas, sociais, raciais ou religiosas; a esperança da humanidade em um mundo melhor onde reine a liberdade, a dignidade pessoal, a justiça social e a solidariedade”.

As cores do arco íris representam a nobreza e a grandiosidade de um símbolo da natureza em um conjunto de cores, cuja união significa a paz após a tormenta.

Cada uma das cores tem um significado próprio:

Vermelho – coragem

Laranja – visão do futuro

Amarelo – desafio em casa, família e comunidade

Verde – crescimento individual como pessoa e como cooperado

Azul – horizonte distante, a necessidade de ajudar os menos afortunados, unindo-os uns aos outros

Anil – necessidade de ajudar a si próprio e aos outros através da cooperação

Violeta – beleza, calor humano e coleguismo.

O SESCOOP é o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo, seu objetivo é desenvolver, capacitar e qualificar cooperados e funcionários do sistema cooperativista brasileiro, sua missão é formar cidadãos mais cooperativos e mais participativos, porque o Brasil precisa urgentemente de mais justiça social.

Falar do cooperativismo para crianças e jovens e despertar neles, desde cedo, o ideal da cooperação pode ser o embrião da Coorperlândia, a cidade do futuro, onde todas as atividades são geridas pelo ideal cooperativista, onde o homem vai estar acima do lucro, onde a economia social vai prevalecer, onde todos terão acesso à saúde, educação, moradia e justiça social.

Página 1 de 4

Área Restrita

Apoio

© 2016 SPcarnaval.com.br- spcarnaval@spcarnaval.com.br - Todos os Direitos Reservados