40.jpg
Tom Maior

Tom Maior

Na reunião de fundação, criada e idealizada por Hélio Bagunça, que foi o primeiro presidente da escola, juntamente com sambistas tradicionais da Camisa Verde e Branco, havia pessoas com diferentes idades, origens e experiências de vida, havia também universitários da USP que na época frequentavam o São Paulo Chique, que era uns dos maiores eventos culturais dos anos 70.

História

Os ensaios técnicos no Carnaval paulistano vêm ganhando grande destaque no calendário da folia na cidade, e nesse contexto, buscando motivar ainda mais os seus componentes para comparecer aos treinos gerais, as escolas usam suas armas.

A Tom Maior vai presentear com um freezer cheio de cerveja a ala que estiver com o maior número de integrantes na primeira simulação de desfile da agremiação, no próximo dia 8, sexta-feira.

Sábado, 05 Dezembro 2015 10:24

Ensaio Turbinado aa Tom Maior

Escrito por

Ensaio Turbinado Tom Maior

Segunda, 17 Agosto 2015 11:16

Tom Maior define samba 2016

Escrito por

Após processo de audições internas que teve início na segunda quinzena de julho, a Tom Maior definiu seu hino para o Carnaval de 2016, quando será a segunda escola a desfilar pelo Acesso paulistano, no dia 7 de fevereiro.

A aposta da agremiação para conquistar uma vaga na elite do samba paulistano é um enredo em homenagem ao cantor e compositor Milton Nascimento.

milton nascimento foto divulgacao ghghdhgd 620

Quinta, 13 Agosto 2015 11:19

Começam os ensaios na Tom Maior

Escrito por

tomMaiorLOGOO novo espaço para ensaios e diferentes atividades sociais da Tom Maior recebe público e comunidade pela primeira vez neste sábado, dia 15, a partir das 22h.

A noite inaugural de treinos rumo ao Carnaval de 2016, contará com DJ e exibição da bateria "Tom 30", de mestre Carlão. A quadra fica na Rua Sérgio Tomás, 20.

Sexta, 23 Janeiro 2015 17:16

História Tom Maior

Escrito por

Na reunião de fundação, criada e idealizada por Hélio Bagunça, que foi o primeiro presidente da escola, juntamente com sambistas tradicionais da Camisa Verde e Branco, havia pessoas com diferentes idades, origens e experiências de vida, havia também universitários da USP que na época frequentavam o São Paulo Chique, que era uns dos maiores eventos culturais dos anos 70.

Em 1974, a escola colocou na avenida o seu primeiro Carnaval, sendo vice-campeã do Grupo 3 (atual Grupo 1 da UESP), fato que a promoveu para o Grupo 2(atual Acesso). Manteve-se em 1975 e foi vice-campeã do Grupo 2 (atual Grupo de acesso) em 1976, chegando ao Grupo 1(Hoje Especial) pela primeira vez em 1977, ficando em 9º lugar.

Não se firmou muito tempo no Grupo Especial, voltando ao Grupo 2 (acesso) em 1979 e em 1982 chegou a ser rebaixada para o Grupo 3 novamente, permanecendo até 1992. Só retornaria ao Grupo Especial em 1996, quando terminou em 8º lugar, mas em 1997, ao terminar na 9ª colocação entre 10 escolas, acabou rebaixada novamente, porém com um belíssimo desfile e numa classificação muito discordada pelo mundo do samba.

Em 1999 a escola alugou uma quadra no Sumaré, em plena Av. Dr. Arnaldo, permanecendo nos carnavais de 2000 e 2001. Embora até hoje constantemente se afirme como pertencente ao Sumaré, em sua trajetoria migrou para diversos endereços. No carnaval de 2000, a Tom Maior teve uma nova passagem pela divisão principal, porém terminou em 13º lugar entre 14 escolas, caindo outra vez, por apenas meio ponto, assim como em 1997.

A escola nunca teve quadra própria, ensaiando pelas ruas do bairro onde funcionava sua sede provisória. Sua primeira sede ficava na Oscar Freire, onde hoje está localizada a Estação Sumaré do Metrô. Depois rodou por diversos bairros da região, como Vila Madalena, Cerqueira César, e até Campo Limpo em 77 e 78, chegando a voltar ao Sumaré em 1979. Nas ruas Cristiano Viana, Oscar Freire, Galeno de Almeida, Amália de Noronha, Alves Guimarães, João Moura e adjacências, durante muitos anos, se realizavam os ensaios de Carnaval.

Em 2004, foi vice-campeã do Grupo de acesso, voltando ao especial em 2005 com um enredo sobre o meio ambiente. Mais uma vez mudava seu endereço, mas apenas do número 50 para o número 263 da mesma rua Eugênio de Medeiros, em Pinheiros. Espaço amplo e muito bem projetado, ajudou a preparação de um grande desfile. Manteve-se no Grupo Especial para o ano seguinte, quando fez uma homenagem ao cantor Frank Aguiar, bem como a seu Estado-natal, o Piauí o que concedeu a escola 6 prêmios especiais do Jornal Diário de São Paulo, considerado o estandarte do carnaval. Em 2007 a escola surpreendeu com um enredo sobre o movimento trabalhista no mundo, com alegorias altas e um samba politizado, conseguindo uma expressiva 8ª colocação entre 14 escolas.

Já no Carnaval 2008 surpreendeu no Anhembi, com o enredo "Glória Paulista - São Paulo na Vanguarda da Economia Brasileira" a escola conseguiu sua melhor colocação entre a elite do carnaval paulista, alcançando um expressivo 5° lugar. Com um belo samba, fantasias e carros alegóricos criativos que chamaram atenção do público.

participação no desfile das campeãs de São Paulo, porém junto desta conquista inédita, mais uma vez a escola precisou dear 1999

sua quadra, pois o proprietário vendeu o imóvel para uma construtora, o que levou a escola a ensaiar no bairro da Barra Funda...

No carnaval 2009, com um enredo sobre Angola e Martinho da Vila, denominado Uma nova Angola se abre para o mundo! em nome da paz, Martinho da Vila canta a liberdade!!, a escola fez um excepcional desfile, porém ficou na 11º colocação após critérios duvidosos e notas injustas dos jurados.

No carnaval 2010, escolheu como enredo os 50 anos de Brasília, enredo escolhido por diversas outras escolas, de outras cidades, no mesmo ano, como Beija-Flor, MUG, e Presidente Vargas. Roberto Szaniecki foi contratado para ser o carnavalesco3 , e trouxe mudanças nas cores apresentadas no desfile, com predomínio de dourado e prateado, além de alegorias grandes, que só foram terminadas no sambódromo. Com muitos problemas na concentração e nas alegorias, a escola obteve a 12ª colocação.

No carnaval de 2011, apresentou novamente um enredo falando sobre uma cidade, desta vez, São Bernardo do Campo, retratada pelo carnavalesco Chico Spinosa. A escola homenageou em seu enredo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que já havia sido citado no enredo de 2007, mas dessas vez foi citado mais explicitamente, havendo inclusive no desfile a "ala Lula". Houve convite formal para a participação de Lula no carnaval,4 no entanto o ex-governante disse que assistiria pela televisão apenas.

Em maio do mesmo ano, a Tom Maior perdeu seu presidente: Marko Antônio da Silva, de 44 anos, e que comandava a escola há 27, faleceu, vítima de leucemia.5 Em seu lugar, na diretoria, assumiu sua irmã, Luciana Silva

Em 2012, a Tom Maior trouxe o enredo "Paz na Terra e aos homens de boa vontade". A escola além de levar para a avenida mensagens de paz, homenageou o presidente Marko Antônio da Silva num desfile emocionante. Valeu-lhe o 7º lugar.

Em 2013, a escola abordou um tema inusitado sobre a história do preservativo ainda visto como um tabu: "Parque dos Desejos, o seu passaporte para o prazer". Com patrocínio de uma empresa de preservativo a escola fez um desfile quente, no qual terminou na 12ª colocação.

Em 2014, a escola apresentou o enredo em comemoração ao centenário da cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, teve problema no carro abre-alas, que foi solucionado com o auxílio de duas empilhadeiras na parte dianteira da alegoria para seguir seu desfile, ficando em 7º lugar na disputa.

Em 2015, a escola levou o enredo "Adrenalina" para a avenida, tendo como experiência a adrenalina da superação do imprevisto do desfile de 2014, quando o carro abre-alas da escola quebrou e foi conduzido por duas empilhadeiras até o fim do desfile. Mesmo trazendo um enredo instigante, a escola não empolgou e ficou em 14º lugar, sendo assim rebaixada para o grupo de acesso, onde desfilará em 2016.

Área Restrita

Apoio

© 2016 SPcarnaval.com.br- spcarnaval@spcarnaval.com.br - Todos os Direitos Reservados